terça-feira, 11 de agosto de 2015

Missa do Dia dos Pais









Semana da Família

Vocação Familiar
O mês de agosto se volta especialmente para as vocações. Um acento importante é a vocação da família. Esta é querida e criada por Deus. Uma instituição que tem sido atacada por organizações internacionais, legislações ideológicas, campanhas contrárias à família em tantos âmbitos da sociedade, propaganda sistemática na mídia desfavorável aos valores positivos e essenciais da família humana. Neste tempo difícil, é muito importante valorizar a família, dar opiniões e manifestar convicções para o futuro da humanidade.


Nesta ocasião em que se propaga uma cultura do provisório, do relativo, do não comprometimento, do apenas ‘curtir’, o Papa Francisco nos tem dito que Deus chama para escolhas definitivas. Deus tem um projeto para cada um. Descobri-lo e responder à própria vocação é caminhar para a própria realização. A todos Deus chama à santidade, a viver a sua vida feliz. Alguns são chamados a se santificar constituindo uma família através do sacramento do Matrimônio. A família é célula que nasce do amor de um homem e de uma mulher, em caráter indissolúvel, aberto à vida, promovendo a dignidade da pessoa humana, o sacramento do matrimônio e a inviolabilidade da vida e da família.
O Documento de Aparecida nos fala da importância de valorizar a família e de defender seus direitos neste tempo de tantas mudanças. A família não é mera instituição natural; antes, faz parte do projeto Criador (cf. Gn 1,27), de modo que “pertence à natureza humana que o homem e a mulher busquem um no outro sua reciprocidade e complementariedade” (nº 116). É na família que a pessoa “descobre os motivos e o caminho para pertencer à família de Deus” (nº 118). A família nunca cairá de moda. Onde existem o amor e a fidelidade, nasce e perdura a verdadeira liberdade.
A cada ano, a Igreja Católica no Brasil celebra a sua Semana Nacional da Família, começando com a comemoração do Dia dos Pais, no segundo domingo de agosto, estendendo-se por toda a semana; este ano, do dia 09 a 15,
Toda família tem necessidade de Deus. Necessidade da Sua ajuda, da Sua força, da Sua bênção, da Sua misericórdia, do Seu perdão. E requer simplicidade. Quando a família reza unida, o vínculo torna-se mais forte. A vocação da família é estar a serviço do amor e da vida.
Que a Sagrada Família, Jesus, Maria e José, proteja as nossas famílias e que seus direitos sejam respeitados para o próprio bem do futuro da humanidade.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Ser Padre

"Ser padre é ser abençoado e verdadeiramente escolhido por Deus. Sem dúvida nenhuma, somente alguém que tem Deus ao seu lado é capaz de realizar tantos feitos como celebrar a Eucaristia, pregar o Evangelho, acolher os pecadores, orientar e acompanhar como somente um pai pode fazer.
Um pai espiritual dado pelo Senhor para nos guiar no caminho da salvação. Ser padre não é uma tarefa fácil! Deixar tudo é entregar-se completamente nas mãos do Senhor pede vocação, força e fé. Muita fé. O padre é um ser humano sujeito a tentações, fraquezas e também emoções e sentimentos.
É claro que, em alguns casos, nem sempre os limites humanos são superados, mas a graça divina e a oração constante são a melhor ajuda para os momentos de dificuldade.
O padre precisa de nós tanto quanto nós dele. Precisa do nosso apoio, colaboração e compreensão; precisa do nosso amor, da nossa amizade e de nossas orações. Precisa que rezemos pedindo que Deus o santifique, ampare e console nos instantes de fraqueza; que Deus lhe dê animo e coragem para seguir confiante e com alegria em sua missão. Este dia deve ser repleto de agradecimentos e louvor pelo padre que temos.
Deve ser o dia de um abraço caloroso e fraternal, de um “muito obrigado” sincero e de festa. Ter um padre em nossas comunidades é uma benção de Deus e isto precisa ser celebrado com muito amor e alegria. Felicidades a todos os padres. Que Deus sempre os abençoe e guarde, hoje e sempre” (papa Bento 16).
Faço minhas as palavras do Papa nesta data em que lembramos o dia do Padre. Padre significa pai, pai do povo que caminha na fé, na esperança, construindo aqui e agora um mundo melhor. Padre também é chamado de Presbítero, ou seja o ancião, homem provado, o sacerdote, homem que servia no templo recebendo as ofertas, homem do sacrifício.
Prefiro chamar de Padre, de presbítero, o homem que tem a missão de acompanhar, de orientar, de coordenar a vida do povo a ele confiado, como pastor que dá a vida pelas suas ovelhas. O homem provado na vocação, como o ouro no cadinho.
Obrigado queridos padres, presbíteros de nossas comunidades, que incansavelmente sem esperar nada em troca, doam vossas vidas, a exemplo do Bom e Amado Pastor. Aquele que vos chamou é fiel. Ele conta com a vossa fidelidade até o fim. “Muitos foram os chamados e poucos foram escolhidos”.
Sim, somos poucos, porém, não estamos sozinhos. Queremos crescer na fraternidade, na ajuda mútua, no encontro afetivo e efetivo, não de servos, mas de amigos. Em primeiro lugar, amigos do Senhor Jesus, pois foi Quem vos chamou por primeiro de amigos. Vocês são meus amigos e eu quero ser sempre amigo de vocês!
Dom Anuar Battisti é Arcebispo metropolitano de Maringá

sábado, 1 de agosto de 2015

Agosto: Mês das Vocações


Evangelização e vocação são dois elementos inseparáveis. Para se ter ideia da eficácia da evangelização, basta analisar a capacidade desta, em suscitar vocações, ou seja, envolver inteiramente aqueles que são evangelizados, até fazer deles discípulos e apóstolos. 
A vocação dos primeiros discípulos foi fruto de um encontro pessoal que suscitou neles fascínio e que transformou suas mentes e corações, de modo que reconheceram em Jesus aquele em quem se realizariam as esperanças.
A vocação cristã tem em si características que, se levadas a sério, ajudam a viver autenticamente a vocação específica que cada um recebeu e cultiva. Uma dessas características é a relação pessoal de amizade com Deus, que preenche o coração humano e transforma a vida. Trata-se da fé que faz com que a pessoa propague o Evangelho de Jesus Cristo.
Nessa dinâmica, os cristãos são chamados a renovar, a cada dia, seu dinamismo vocacional, comunicando e compartilhando o entusiasmo e a paixão com que se vive o chamado de Deus, de modo que a vida daquele que segue Jesus se torne, por si só, uma proposta vocacional a outros e assim se estará criando aquilo que exortou o Papa Emérito Bento XVI: “fortalecer a cultura vocacional na Igreja”.
O pai e mestre da juventude Dom Bosco, mais do que campanhas vocacionais soube criar um microclima onde as vocações cresciam e amadureciam, criando uma autêntica cultura vocacional na qual a vida é concebida e vivida como dom, vocação e missão, na diversidade das opções.

Hoje é ainda mais necessário ter especial atenção para descobrir os possíveis sinais de vocação nos jovens. Vocação não se manifesta num desenvolvimento quase mecânico… A inconstância juvenil pode colocá-la em sério perigo, donde a importância de se criarem ambientes adequados, mantendo neles clima espiritual que ajude a responder às exigências de seu crescimento.
Dentro do ambiente, dentro da cultura vocacional é importante destacar o ambiente de familiaridade, o clima de alegria, a dimensão apostólica e o intenso amor à Igreja que já devem ser vividos na família e sociedade e depois, de modo mais concreto, dentro dos seminários, dentro das casas de formação.

A Igreja de Jesus Cristo recebe um grande tesouro quando encontra uma boa vocação; que esta vocação vá para uma diocese, para as missões ou à uma casa religiosa, não importa! É sempre um grande tesouro que se dá à Igreja de Jesus Cristo mesmo que, amadurecida, chegue-se à conclusão de que o desejo de Deus é o dom da vocação laical.

Padre Rafael Uliano